Arquivo da tag: sabonete feito à mão

Está chegando a Semana da Saboaria Natural

Amanhã começa mais uma Semana da Saboaria Natural, um workshop online e gratuito de 4 dias, onde revelarei o processo que me permite produzir sabonetes do zero! Você sairá desse workshop com uma receita surpreendente para você produzir o seu primeiro lote de sabonete! E ainda por cima, com quase tudo o que você já tem em casa. Você nunca mais vai querer usar sabonetes comuns.

Inscreva-se na Semana da Saboaria Natural agora neste link.

Começa amanhã, dia 20/07 `as 19h00.

Atenção! Nova data Curso de Saboaria Artesanal e Natural na Praia da Pipa

A data do Curso de Saboaria Artesanal e Natural na Praia da Pipa foi alterada. O post sobre o curso já está atualizado.

A data nova é 2 e 3 de Abril. Save the date!

pracaxijojoba4

Curso de Saboaria Artesanal e Natural * SACHI & CASA DA MATA

Olá! Tenho o imenso prazer de anunciar o primeiro curso de saboaria depois da minha mudança de São Paulo para a Praia da Pipa! É também com muita alegria que informamos que esta é uma colaboração SACHI & CASA DA MATA! Estamos prevendo um local fantástico, uma casa com vista panorâmica para o mar, que servirá de cenário para o curso e hospedagem de alunos que vem de fora da cidade. A definição do local está condicionada a alguns fatores como número de alunos inscritos e timing da reserva, portanto está sujeita a mudanças. Mas estamos na torcida para que aconteça nessa casa! Se você estava esperando por novas datas do meu curso de saboaria, planeje com carinho e venha, porque esse vai ser muito, muito interessante 😉

 convite curso saboaria abril 2016
CURSO DE SABOARIA ARTESANAL E NATURAL NA PRAIA DA PIPA!
Aprenda a produzir sabonetes artesanais e naturais com a Sachi, artesã de cosméticos naturais e idealizadora da marca SACHI, e com a Yulia, artesã de cosméticos naturais, química e idealizadora da marca CASA DA MATA, na Praia da Pipa, eleita uma das mais belas praias do Brasil por diversas publicações.


O objetivo do curso é ensinar os alunos a produzir e decorar sabonetes ecológicos e suaves para a pele, para uso pessoal. O método utilizado é o cold process (processo a frio). Os alunos sairão do curso sabendo criar as suas próprias receitas, usando a sua própria criatividade.

2 de abril (sábado) 09h00 – 17h00
Aulas teórica e prática
3 de abril (domingo) 14h00 – 17h00
Aula prática e tira-dúvidas

Investimento: R$650,00 com hospedagem (entrada dia 1 e saída dia 3) e café da manhã. R$500,00 o curso avulso sem hospedagem.
Local: Praia da Pipa, Rio Grande do Norte (local a definir)
Vagas limitadas!

A inscrição é confirmada mediante pagamento integral. Caso haja cancelamento ou mudança de data por nossa parte que impossibilite o aluno a participar, o valor será devolvido integralmente.

Inscreva-se por email e/ou receba maiores informações sobre o curso: sachigs@gmail.com

 

 

Sugestões de presente para o Dia das Mães

A SACHI preparou kits presente super especiais e exclusivos para você presentear a pessoa mais do que especial e exclusiva! 

kit A

kit B

kit aromaterapia bergamota

kit aromaterapia geranio

kit aromaterapia petitgrain

Os kits tem quantidades limitadas. Antecipe a sua compra para não perdê-los! Programe também com antecedência o seu pedido. A postagem é feita em até 1 semana e conte com o prazo dos Correios a mais. Recomendo optar pelo SEDEX para garantir que o presente chegue até o Dia das Mães, pois é o único que garante o prazo estabelecido. O serviço econômico PAC indica apenas o prazo aproximado e pode atrasar mais nas datas comemorativas.

Sal de Aguni

Que eu sou louca por sais gourmets e exóticos, acho que quem já leu esse blog algumas vezes já sabe. E que eu uso esses sais não só para temperar minha comida mas igualmente para fazer sabonetes, também não é nenhuma novidade. E se eu passei minhas últimas férias no Japão, era mais do que óbvio que eu iria trazer alguns sais especiais de lá.

Sim, essa é a resposta do post anterior. É um sal. Sal de Aguni. Aguni é uma ilha em Okinawa, a região mais ao sul do Japão. É uma região formada por várias ilhas e é praticamente um outro país, com uma cultura bem distinta. E efetivamente até pouco tempo atrás (século XIX), era um outro país, um reinado, chamado Ryukyu.

Esse é um sal muito especial, desenvolvido por três estudiosos após 20 anos de pesquisa em busca do sal perfeito. Repleto de minerais como magnésio, cálcio, potássio, ferro e fósforo, é produzido a partir da água do mar de cor de esmeralda de Okinawa. Primeiro a umidade é retirada por evaporação com o vento e o calor do sol durante 10 dias, depois durante 30 horas num forno a lenha para depois passar por secagem durante mais 2 semanas, levando ao todo um mês inteiro para a produção. Exatamente o mesmo tempo que leva um sabonete da SACHI para ficar pronto 😀

IMG_5673

Esse, realmente, é um sal feito com kodawari. Não consigo pensar numa tradução exata dessa palavra para o Português, mas é algo como “sem concessões”. Assim como é o sabonete da SACHI 😀

Como ele não passa por nenhum processo de refino, é um sal mais úmido naturalmente e ainda por cima absorve a umidade do ar por causa da grande proporção de cloreto de magnésio contido nele. Sais marinhos de boa qualidade são assim, úmidos.

Ao elaborar o sabonete que faria com esse sal tão especial, pensei em algo refrescante, mas também não masculino demais. Assim criei uma sinergia de óleos essenciais de eucalipto e de lavanda.

IMG_5675

Usei azeite de oliva extra virgem, um dos melhores óleos para se fazer sabonetes.  Ele contribui para que o sabonete fique suave e hidratante.

IMG_5676

Abaixo é a combinação de todos os óleos já saponificados.

IMG_5678

Ficou uma massa perfeita, cremosa e homogênea, com um aroma de limpeza refrescante. Aliás, lavanda vem da palavra lavare, em Latim.

IMG_5683 IMG_5682 IMG_5680

A produção foi no dia 16/02. No dia seguinte, foi desenformado e cortado em barras. Agora as barras estão descansando no escuro para ficarem mais duras na consistência e mais suaves para a pele. Ficam prontas por volta do dia 16 de março. Quem se interessar para comprar, espero a sua visita lá na loja online. Esse é um sabonete que promete esgotar bem rápido, como foi com o Sal da Mongólia. É edição limitadíssima, pois só trouxe um saquinho desse sal 😉

IMG_5684 IMG_5691

soap #13 Aveia & Mel Biodinâmico • 9

Produção desse fim de semana que passou.

Um lote do meu clássico sabonete Aveia & Mel Biodinâmico.

Um dos que eu mais gosto de fazer, pelo cheiro doce e floral que preenche o ambiente inteiro!

Este lote já está inteiro vendido. Quem quiser encomendar um lote inteiro de um tipo de sabonete, tem 10% de desconto. Um lote são 36 sabonetes. Entre em contato no sachigs@gmail.com. O prazo de entrega é de 60 dias.

soap #24 Sal Rosa do Himalaia • 9

Então, vou escrever a continuação de ontem.

Como aquele último lote do sabonete de Sal Rosa do Himalaia esgotou quase na velocidade da luz, precisava produzir urgentemente um novo lote. Até porque fiquei super mal de não ter conseguido levar alguns para a Karina, que gentilmente tinha trazido o sal rosa para mim de sua viagem na Alemanha.

Dessa vez, eu usei o sal grosso, justamente esse que veio da Alemanha. Moí os quase 300g no meu moedorzinho manual. Ele é de ótima qualidade, com a parte que mói em cerâmica, mas que dói o punho depois, dói, hahaha 😀 Mas trabalho artesanal é assim mesmo, né? Muito melhor do que ficar sem sal rosa e sem sabonete de sal rosa!

Image

É tão lindo, esse sal né? Parece umas pedras preciosas.

Image

Como dá para ver, ele não fica tão finamente moído quanto o que veio já moído no pacote. Eles devem ter um moedor bem mais hi-tech que o meu.

Image

Não mudei nada na receita nem na fragrância. Continuo com a sinergia de puros óleos essenciais de hortelã-pimenta, alecrim e ho wood.

Image

A foto acima é de todos os óleos derretidos, misturados e na temperatura certa para iniciar a saponificação.

Image

O sal é adicionado no final, depois que a massa atingir o ponto do trace.

ImageImage

24 horas depois…

ImageImageImageImageImage

Et voilà! Agora é só esperar 4 semanas para os sabonetes completarem o seu período de cura.

Meus sabonetes de sais gourmets

Depois desse meu post falando que o sal rosa do Himalaia estava em falta no mercado, recebi contatos de pessoas que nunca me viram na vida estavam indo viajar dizendo que trariam o sal para mim e também do meu pai, que mora em Tokyo, que imediatamente se dispôs a me mandar o sal para que eu possa continuar produzindo o meu tão amado sabonete! Fiquei muitíssimo surpresa e emocionada com tanta generosidade! Para as que estavam indo viajar e me propôs de trazer o sal, eu agradeci e recusei, porque não me senti bem em ocupar 1 ou 2 kg do espaço da bagagem, que eu sei que são tão preciosos quando a gente viaja, com o tal do sal. Mas a minha querida cliente e leitora do blog Karina trouxe mesmo assim, sem querer nada em troca, 2 kg de sal rosa do Himalaia lá da Alemanha. E o meu pai também mandou de Tokyo, 1 pacote de sal rosa grosso, outro do mesmo sal já moído e um pacote de um outro sal muito raro, que nunca tinha visto antes, o da Mongólia. Muito, muito obrigada! Agradeço também aos que me mandaram dicas de lojas que vendem o sal ou que se propuseram a procurar. Vocês não só me ajudaram como me transmitiram o carinho que sentem pelo que faço, o que para mim é algo precisoso.

o sal rosa do Himalaia grosso que veio da Alemanha e de Tokyo

o sal rosa moído e o sal da Mongólia que vieram de Tokyo

E assim eu pude dar continuidade à produção dos meus sabonetes com sais gourmets! Logo fiz um lote com o sal rosa já moído, para não perder tempo. Aliás, este é o que eu procuro aqui no Brasil, o moído em saco de 1kg. Se alguém souber de algum lugar que esteja vendendo, por favor, me avise, pois vou precisar em breve quando acabarem esses.

sinergia de puros óleos essenciais

A fragrância desse sabonete é muito refrescante e é feita com uma sinergia de óleos essenciais de hortelã-pimenta, alecrim e ho wood.

sal rosa do Himalaia

Quando o sal rosa já vem moído, ele fica mais fininho do que quando eu moo aqui no meu moedor manual.

todos os óleos já derretidos, misturados e na temperatura certa

os óleos saponificados

já nos moldes

a textura da massa com o sal fica assim, parecendo celulite, hahaha

24 horas depois…

o bloco de sabão de sal desenformado e pronto para receber o corte

O sal faz com que o sabão transpire, por isso é que esse sabonete perde água mais rapidamente e fica mais duro que os outros.

o sabonete de Sal Rosa do Himalaia cortado em barras

Depois do corte final, as barras vão para as gavetas de cura, como sempre, para ficarem maturando durante 4 semanas antes de serem embaladas. Essa produção foi em junho e já foi toda vendida.

Depois disso, no final de julho, fiz o sabonete de sal da Mongólia. Este sal é chamado Jamutsudaus (não sei como se escreve em letras romanas, aqui eu reproduzi a pronúncia da escrita em japonês, pois não achei na internet referências do nome desse sal em sites ocidentais. vou pesquisar melhor e se achar alguma coisa, postarei aqui), que significa “sal sagrado”. Ele contem minerais como calcio e ferro e não contem quase nada de magnésio, o que resulta num sal com sabor bastante suave.

a embalagem do sal da Mongólia que veio do Japão, por isso, é tudo escrito em japonês

Através da embalagem, parecia que ele era todo branquinho, mas quando tirei-o e olhei melhor, vi que é uma mistura de cores que vai do branco ao rosa bem suave. Bem mais clarinho que o do Himalaia.

o sal da Mongólia

Assim como o sal do Himalaia, esse é um sal de rocha e tem poder desintoxicante tanto para o organismo quanto para o ambiente. Grandes pedaços de cristal desse sal, alguns pesando até 5kg, são usados como decoração para purificar o ambiente. Não é perfeito para usar como ingrediente de sabnonete para um banho desintoxicante e purificador? Fora a sensação de estar se purificando com um sal que veio de um lugar tão misterioso e exótico quanto a Mongólia. Mesmo para mim, que conheço muitos países da Ásia, a Mongólia permanece ainda um lugar bem distante e desconhecido.

azeite de oliva extravirgem que compõe esse sabonete

todos os óleos derretidos, misturados e na temperatura certa para iniciar a saponificação

sinergia de puros óleos essenciais para criar a fragrância do sabonete

A fragrância desse sabonete foi criada com óleos essenciais de eucalipto, lavanda e limão tahiti. Essa cor esverdeada é do próprio limão, pois o seu óleo essencial é extraído da casca, que é verde.

a massa atinge o ponto “trace” e recebe os óleos essenciais e o sal

a massa já nos moldes

Os moldes com a massa vão para a caixa de isopor e ficam 24 horas no escuro e no quentinho para o processo de saponificação continuar acontecendo.

24 horas depois…

o bloco de sabão de sal da Mongólia desenformado

A surpresa agradável foi, ao desenformar o bloco, ver que ficou com uma ligeira cor esverdeada, por causa do óleo essencial de limão tahiti. Fiquei feliz pela escolha que fiz, pois assim não só diferencia este sabonete do de sal rosa do Himalaia pelo tipo de sal e pelo aroma diferente, mas também pela sua cor. Espero que essa cor permaneça. Pode ser que desapareça devido à alta volatilidade do óleo essencial dos cítricos, mas estou torcendo para que fique pelo menos um pouquinho.

o sabonete Sal da Mongólia cortado em barras

As barras cortadas foram para as gavetas de cura e estão ainda em maturação. Ficam prontas no dia 28/08. Não vejo a hora de experimentar!!

.

Eu ia escrever ainda sobre a última produção do sabonete de sal rosa que fiz com o sal grosso que veio da Alemanha, mas como já são 22h35 e já passaram 35 minutos da minha hora de dormir (sim, eu durmo cedíssimo, pois acorodo às 05h50 amanhã), vou deixar para uma outra hora. Espero que em breve! Boa noite 🙂

soap # 42 Geléia Real • 3

Finalmente consigo postar sobre a produção do dia! O sabonete escolhido foi o Geléia Real, que uma amiga já vem pedindo há meses para produzir. Mudei pouca coisa da receita original, troquei o óleo de côco babaçu pelo de côco palmiste e o óleo essencial de pau rosa pelo ho wood.

Esse sabonete é feito com um composto de mel com geléia real. No post do primeiro lote pode ser lido mais detalhes sobre esse alimento da abelha rainha e seus benefícios.

composto de mel com geléia real

a manteiga de cacau dá dureza ao sabonete e ao mesmo tempo deixa a espuma cremosa

todos os óleos e manteiga derretidos, misturados e na temperatura certa para iniciar a saponificação

aqui a massa já atingiu o seu ponto de “trace” e recebeu o mel e o óleo essencial

a massa do sabonete já nos moldes…

…pronta para descansar na caixa de isopor no escuro e quentinho, durante no mínimo 24 horas

Produção: 25/07/2012

Liberado para uso: 22/08/2012

Ingredientes

  1. azeite de oliva extravirgem
  2. óleo de palmiste orgânico
  3. óleo de palma orgânico
  4. manteiga de cacau
  5. composto de mel com geléia real orgânico
  6. água desmineralizada
  7. NaOH
  8. OE ho wood

Não vejo a hora de desenformar esses blocos de sabonete, por causa de seu cheiro doce e amadeirado que vou sentir! Adoro fazer sabonete com mel por isso, fica um cheiro de caramelo irresistível por todo o ambiente.

soap #39 Bacuri BIO • 2

Este foi definitivamente o maior desastre da história do Supasoap; o segundo lote do sabonete de Bacuri.

Esta é a manteiga de bacuri, extraída do bacurizeiro, uma árvore da região amazônica. Mais detalhes sobre essa manteiga pode ser lida no post do primeiro lote desse sabonete.

Derreti essa manteiga junto com os outros óleos sólidos, os de palma e de palmiste.

Aliás, este é um sabonete feito só com óleos sólidos, o que é um caso raro nas minhas receitas.

Assim que a lixívia foi incorporada nos óleos e eu comecei a mexer, a massa começou a engrossar muito rapidamente. Eu já sabia, pela experiência anterior, que isso iria acontecer, por isso, nem usei o mixer. Mexi só com o fouet (batedor manual).

Mas em vez de colocar a massa logo nos moldes, eu quis mexer um pouco mais, para que a mistura não ficasse desigual. E ainda tinha que incorporar os óleos essenciais e mexer um pouco mais. Nisso, a massa ficou dura de um jeito que eu comecei a desesperar.

Não tinha mais jeito, ou eu forçava a massa dentro dos moldes de qualquer jeito, ou aquela massa iria endurecer por completo dentro da bacia e eu ficar com um gigantesco sabonete redondo e talvez não conseguisse nem tirá-lo da bacia!

Então imediatamente eu comecei a operação mais bagunçada da história do Supasoap. Tudo isso em pânico e desespero.

O primeiro molde ainda se salvava, mas depois… ai, ai!

Bom, toda experiência é válida. No final, já estava até feliz por ter conseguido colocar tudo nos moldes e não ter perdido todo aquele óleo valioso. Pelo menos não vai faltar sabonete aqui em casa! 😀

Coloquei, como de costume, os moldes na caixa de isopor para ficar 24 horas no escuro e no quentinho para a massa completar o seu processo de saponificação. No dia seguinte, fui desenformar os monstrinhos, curiosa para ver quão feios tinham ficado.

É, realmente…

Cortados, até que ficaram menos horrível. Mas dá pra ver que a massa não foi bem misturada e vê-se que não está homogênea. Isso não é nada bom.

Refilados, até que ficaram ok. Vamos ver se passa pelo teste de pH. Vou postar aqui depois o resultado. De qualquer maneira, vai ser só para uso pessoal mesmo.

A fragrância que usei para esse sabonete é uma sinergia de óleos essenciais de capim-limão e ho wood.

A única coisa que mudou entre o primeiro lote e esse, foi o tamanho do lote. Esse é um lote de 3.6kg de óleos e o primeiro, de 1kg. Quando o lote é menor, dá tempo de misturar rapidamente e colocar no molde enquanto ainda está com consistência de pudim.

Da próxima vez, a solução vai ser usar essa manteiga de bacuri como superfat, em quantidade bem menor.