Arquivo da tag: biodegradável

Pré-lançamento do curso online A ARTE DA SABOARIA NATURAL COM SACHI

[INSCRIÇÕES ATÉ HOJE] Curso online de saboaria natural e artesanal pelo método cold process (processo a frio). Sachi é artesã de cosméticos naturais, terapeuta, designer gráfica e idealizadora das marcas SACHI cosméticos naturais e SACHI CUISINE. Uma das pioneiras da saboaria cold process no Brasil, é autora do blog SupaSoap, que se tornou referência para quem estuda essa arte. Suas criações foram apresentadas em diversas publicações como Vogue, Revista da Folha, Caderno Ela do jornal O Globo, Portal Namu, e diversos blogs sobre beleza natural.

Com o curso, você poderá, em 2 dias + 28 dias de espera, tomar um delicioso banho 100% natural com o sabonete que você mesma formulou e produziu do zero.

Esse curso detalha a técnica da saboaria cold process (processo a frio) passo a passo em vídeos de aulas teóricas e práticas, ensina a criar fórmulas próprias e a combinar os ingredientes para diferentes finalidades e contem diversas receitas bem sucedidas da autora.

Mas não para por aí. Tem 3 bônus incríveis que vão aumentar ainda mais a qualidade da sua vida e ajudar a dar um passo além no seu estilo de vida natural.

Para saber mais, assista ao vídeo editado e encurtado do webinário de apresentação do pré-lançamento neste link. Lá na própria página do vídeo, você pode clicar no botão “sim, quero participar” para fazer a inscrição do curso. Para fazer parte dessa primeira turma com condições muito especiais de pré-lançamento que nunca mais vou poder repetir depois, você tem só até hoje 23h55!

Fazendo sabonete líquido

As vezes eu dou uma refilada nas partes de cima do sabonete para tirar o pozinho branco que aparece. Mesmo sabendo que não é problemático, a aparência fica melhor sem. Daí fica sobrando um monte de tirinhas de sabonete de vários tipos. Resolvi reutilizar essas sobras e fazer um sabonete líquido para eu usar aqui em casa.

É assim. Primeiro eu cortei as tiras de sabonete em pedaços pequenos.

Coloquei os pedaços num recipiente de vidro resistente ao calor e depois joguei água quente.

Em seguida coloquei uma colher de chá de mel para ficar um sabonete ainda mais hidratante. O mel também tem uma ligeira ação bactericida.

Dei uma mexida no todo e fui fazer outra coisa. Demora um tempo até os pedacinhos de sabonete se dissolverem.

Pode deixar uma noite inteira até que a mistura toda vire um gel.

Quando a mistura estava homogênea, adicionei algumas gotas de óleos essenciais de limão (bactericida) e de tea tree (bactericida, fungicida, antisséptico, antiviral, inseticida) e coloquei-a num frasco pump reciclado. E estava pronto o meu sabonete líquido para as mãos super natural, biodegradável e bactericida. Estou usando-o na pia da cozinha para lavar as mãos antes de mexer em alimentos. E ainda por cima ele faz uma bela espuma! Adorei 🙂

Lava-roupas biodegradável

Fiquei de contar o que eu fiz com o óleo das infusões que não vingaram deste post. Foram as infusões de lavanda e de alecrim frescos que ficaram turvos e não podia mais usar para fazer sabonetes. Coei e juntei os dois óleos e decidi fazer um sabão para lavar roupas. Mas antes disso, eu “cozinhei” esse óleo, fervendo-o durante algum tempo para matar qualquer fungo e bactéria que pudesse ter causado a infusão ficar turva. Isso também reproduz mais ou menos o óleo de cozinha usado para fazer sabão, que foi é fervido durante a fritura e esse óleo dá um ótimo sabão. Não se deve usar esse tipo de sabão no corpo, mas para lavar pratos é uma beleza. A espuma dura um tempão e elimina gorduras de um jeito que nenhum detergente faz. E o melhor, é biodegradável. Mas como aqui, não é propriamente um óleo de cozinha usado e sim uma infusão de alecrim e lavanda (que deu errado, mas mesmo assim), achei mais apropriado usar para lavar roupas. De repente, fica até com cheiro bom de lavanda! Não custa nada experimentar.

O método é igual o de sempre. Depois de coado, deu 610 gr de óleo. Acrescentei 300 gr de óleo de palma, 309 gr de água filtrada e 124 gr de NaOH.

Já que não era sabonete e não precisava ficar bonitinho, não usei o molde de sempre e coloquei a massa em dois potes de plástico reutilizados. O cheiro da massa ficou bom! Pensei, mmmmmm, até que esse óleo não estava tão ruim assim. Ficou quase um Marseille! Sabiam que existe sabão de Marseille para lavar roupas também? Eles vendem em flocos.

Não é porque é sabão que se pode eliminar etapas. Ele também ficou dentro da caixa de isopor, enrolado numa toalha para ficar dormindo no quentinho durante 24 horas.

Boa noite!

24 horas depois, virou um lindo sabão redondo e esverdeado. A cor é resultado da infusão das folhas de lavanda e de alecrim. O cheiro ficou realmente muito bom! Incrível que mesmo depois de fervido por um bom tempo, o cheiro permanece!

Na verdade, já tem um tempo que eu fiz esse sabão. Eu é quem estou atrasada nos posts. O seu tempo de cura de um mês também já passou e já usei-o várias vezes para lavar roupas. É assim que eu faço.

Eu ralo o sabão.

Coloco o sabão ralado num recipiente que suporta calor.

Cubro com água fervente e espero.

Vou fazer outras coisas e volto de vez em quando pra ver se derreteu. Falta um pouco.

Quando estiver assim, eu já uso. Com a ação da máquina, ele derrete por completo, principalmente se for usar água morna ou quente. Se for usar água fria, talvez seja melhor esperar que derreta por completo, mas eu tenho usado assim.

Não é ótimo? Eu amei o meu sabão. Ralar não dá tanto trabalho assim e dá pra deixar um tanto ralado para várias lavagens. E rende bem. Detergentes realmente poluem os rios e eu já vi várias vezes o Rio Tietê com um monte de espuma branca, na região perto de Barueri… é triste. É uma paisagem bastante perturbadora. Se todas as casas usassem sabão biodegradável para lavar roupa… ou melhor, se todos os fabricantes de lava-roupas fizessem sabão biodegradável no lugar de detergentes, acho que as coisas seriam diferentes.